Pensar como Sherlock Holmes

Como Desenvolver a Intuição de Sherlock Holmes

Desenvolver a Intuição de Sherlock Holmes

As deduções rápidas e acuradas habilidades observacionais que Sherlock Holmes utilizava para analisar e resolver os maiores mistérios são lendárias. Mesmo que normalmente necessitasse se basear em fatos, as ações de Holmes demonstravam que ele confiava muito na intuição – e claramente notava que a lógica e a intuição eram parceiras na hora de resolver um mistério.

Apesar de não ser possível intuir tudo na vida, existem horas em que escutar a intuição pode ser útil para alcançar conclusões sobre coisas como relacionamentos, conexões, e possibilidades. Para conseguir surpreender os outros, eis alguns truques intuitivos confiáveis que o ajudarão a dar mais precisão em sua habilidade intuitiva, que pode ser facilmente desenvolvida com um pouco de prática e perseverança.

Passos

  1. Aceite sua intuição.

    Aceite sua intuição.

    Aceite sua intuição. Holmes resumia sua intuição assim: ”Era mais fácil saber do que explicar o porquê de eu saber. Se lhe pedissem para provar que dois mais dois é quatro, você encontraria dificuldades, ainda que possuísse bastante certeza quanto ao fato.” Porém, muitos que se consideram pensadores “concretos” confiam em processos filosóficos baseados em evidências, e tendem a dispensar a intuição com o argumento de que ela é tola e pouco confiável. O fato de a intuição estar tão atrelada ao sobrenatural não ajuda muito – oráculos, videntes, bruxas, magos e outras fontes místicas históricas.  Infelizmente, a reputação da intuição foi bastante denegrida por causa do mau uso dela por parte de charlatães, mas isso não significa que ela deixe de ser uma parte de nossa capacidade de decidir e pensar se usada em conjunto com a análise concisa de fatos e evidências. Muitos seres humanos passam por decisões “bruscas” de vez em quando e alcançam, em determinadas ocasiões, resultados satisfatórios – chegando até a salvar vidas. Ver a intuição como um “conselheiro educado”  é um jeito útil de aceitá-la; nossas experiências acumuladas em nosso subconsciente através dos anos fornecem indicações em momentos problemáticos ou perigosos. A inexatidão da intuição se dá quando ela é única fonte das conclusões – suposições, teorias e palpites devem ser testados pela lógica e pela análise dos fatos, e não devem ser descartados durante o processo dedutivo.

     

    • Muitas boas intuições nascem da experiência e do hábito. De fato, Holmes atesta que: ”Pelo hábito, o trem de pensamentos correu tão veloz pela minha mente que cheguei à conclusão sem estar consciente dos passos intermediários”
    • Lembre–se de que você é a pessoa mais fácil de enganar.  Portanto, nunca faça acusações infundadas, alegações ou deduções em meio ao processo de obter conclusões – sobre qualquer coisa. Seria sábio encontrar alguém confiável e mentalmente independente para estudar suas opiniões!
  2. Aprenda a como deduzir coisas sobre uma pessoa estudando-a.

    Aprenda a como deduzir coisas sobre uma pessoa estudando-a.

    Aprenda a como deduzir coisas sobre uma pessoa estudando-a. É possível se exercitar um pouco ao descobrir o que a pessoa está sentindo, se ela está mentindo ou não, mensagens subliminares, etc., através da pura observação pessoal. Muitos podem aprender essa arte, sendo que a maioria prefere ater-se à linguagem corporal. Algumas coisas que podem ser feitas para melhorar sua capacidade de ler a pessoa incluem:

    • Aprenda a ler a linguagem corporal. Existem muitos livros e sites devotados à leitura da linguagem corporal. Leia best-sellers como O Guia Definitivo para a Linguagem Corporal de Allan Pease e Barbara Pease, e outros. Esteja ciente de que ler a linguagem corporal possui suas limitações, pois muitos são bons atores ou enganadores. Ocasionalmente, você cometerá terríveis enganos e não interpretará bem os sinais físicos. Use sempre a leitura corporal em conjunto com outras fontes de intuição e fatos.
    • Observe os sinais de mentira e honestidade. Caso esteja investigando ou deduzindo como Sherlock Holmes, então você definitivamente precisará saber como detectar os sinais de um mentiroso e de um honesto.
    • Tente analisar as pessoas. Você pode aprender sobre hábitos, maneirismos, interações e personalidades das pessoas ao observar – semanalmente e em um lugar confortável – a vida cotidiana delas. Apesar da grande quantidade de suposições envolvidas em tais análises (deliberadas, para deixar tudo mais divertido), é possível melhorar suas suposições ao visualizar maneirismos e características comportamentais específicos. Esse conhecimento acumulado poderá servir como futura referência.
  3. Desenvolva seus poderes de observação.

    Desenvolva seus poderes de observação.

    Desenvolva seus poderes de observação. Uma das coisas mais notáveis em Sherlock Holmes é sua capacidade de notar detalhes que passaram despercebidos; ele ocasionalmente diz coisas como: Você enxerga, mas não observa. A distinção é clara.”Isso não é mágica, e nem superpoder. O segredo é ser muito observador e gastar tempo visualizando detalhes que normalmente são deixados de lado em momentos de pânico, presunção e pressa – responsáveis pela disponibilização de certas pistas. Você pode melhorar seus poderes de observação de vários modos, sendo que cada um deles requer prática. Além disso, você estará muito à frente da população em geral se puder permanecer calmo e pensar claramente sob pressão. A capacidade de observação é uma união de personalidade, confiança, senso comum e noção sobre seus arredores. Leva-se tempo para aperfeiçoá-la. Outros métodos de melhorar suas observações:

    • Concentre-se em melhorar seus três sentidos mais usados – visão, olfato e audição, chamados também de S-3. O fato de estes serem os sentidos mais utilizados significa que tendemos a deduzir através do que eles detectam. Refine seus sentidos para melhor utilizá-los.
    • Seja sagaz para notar os detalhes corretos que não são vistos pelos outros. Use seu discernimento para focar em detalhes relevantes e significantes – ”É muito importante, na arte da detecção, reconhecer quais fatos são incidentais e quais são vitais.”. E não poupe nem os menores detalhes – Holmes deixa claro que ”A menor das coisas é infinitamente a mais importante.”.
    • Pratique com jogos. Jogos como os de caça aos erros em duas imagens, de caça-palavras e caça-objetos, e que requeiram a exploração em labirintos são ótimas maneiras de melhorar seus poderes observacionais. Pratique frequentemente e utilize um cronômetro para acompanhar o quão rápida e calmamente você consegue encontrar tantos objetos/falhas.
    • Questione-se rapidamente e comece a aprender a prestar mais atenção observacional ao seus arredores. Eis um exemplo de observação: Já visitou a casa da avó? É uma casa de dois andares? Se sim, há quantos degraus na escadaria que leva ao segundo andar? Existem quantos quartos lá? Existem quantas camas em cada quarto? Se você não souber, você enxerga, mas não observa; resumidamente, ensine-se a reunir quantos detalhes puder.
  4. Escute melhor.

    Escute melhor. Tendemos a não escutar por estarmos muito ocupados, convencidos, folgados, certos de uma resposta sem provas, egoístas, preocupados, inseguros, enfim! A arte de escutar jamais pode ser negligenciada, e Sherlock Holmes a dominava. Pode parecer mágica quando alguém relembra tudo o que você disse, mas isso é um resultado de boa concentração, cortesia e memorização. Um bom ouvinte irá captar o dito e o subliminar, detalhes que normalmente indicam o outro lado da história.

  5. Jamais subestime as pessoas.

    Jamais subestime as pessoas. Holmes reconhecia a complexidade dos outros – “Uma mente complexa. Todo grande criminoso a possui.” Evite ser arrogante ou simplista ao deduzir as motivações dos outros e dê-lhes crédito onde é devido.

    • Não desdenhe da informação reunida de fontes simples. A literatura popular – como revistas, tabloides e fofocas diárias – pode lhe ensinar muito. Sua mente se abrirá ao escutar e ler essas coisas. Tudo que é popular pode levar a população a pensar de determinado jeito, então é proveitoso ler essas coisas. Afinal, Sherlock Holmes costumava ler colunas de conselhos no jornal, usando-as para aprender sobre a reação das pessoas! Estude tudo e não seja um esnobe intelectual para não cortar metade das fontes de informação real.
  6. Coloque a lógica no jogo. A intuição é útil, mas de nada vale se não vier acompanhada de lógica e de análises factuais. Muitos problemas surgirão se você agir por instinto, sem analisar os fatos. Esteja preparado para permitir que a lógica equilibre sua intuição, tornando-a mais do que meras especulações e suposições. Holmes avisou que “É um erro crasso teorizar antes de possuir dados. Insensivelmente, alguém poderia distorcer fatos para encaixá-los nas teorias em vez de encaixar as teorias nos fatos.” Memorize suas palavras e certifique-se de aplicar evidências às suas teorias.

    • Por exemplo: Você enxerga uma mancha na camisa de seu amigo. Que tipo de mancha é? Comida? Logicamente, isso significa que ele é descuidado. O quê? Você sabe que ele é muito limpo e organizado? Então ele estava com pressa de sair de casa. Por quê? Ele comparece às aulas ou às reuniões sempre no horário certo? Claro que sim, pois ele é muito limpo e organizado. Logo, o que aconteceu? Talvez ele tenha dormido demais. Aproxime-se e pergunte: “Dormiu demais?”. Caso esteja certo, divirta-se com a reação dele! Logo, a corrente de pensamento é: mancha – comida – ele é organizado – pressa – dormir demais.
  7. Analise a situação usando um processo passo-a-passo. Holmes era muito bom manejando processos de eliminação para descartar o improvável, o ilógico e o incerto, de modo a afunilar suas observações, deduções e teorias – alcançando, assim, o que ele acreditava ser a única conclusão. De fato, ele afirmou: “Elimine todos os outros fatores, e o que restar certamente será a verdade.” O processo utilizado é assim:

    • Sempre mude a teoria para explicar os fatos, e não o contrário. Use fatos estáveis, quantificáveis e evidentes para desenvolver sua teoria. Descarte quaisquer teorias que não suportarem os fatos; persistir no uso delas apenas geraria falsas conclusões.
    • Quem se beneficia? Estabeleça um motivo; poderia ser ganância, raiva, inveja. Não se esqueça de pensar em motivos positivos – proteção de uma pessoa, defesa de uma reputação, generosidade, etc.
    • Pense em como uma pessoa faria o que fez? Como retiraram as joias do estojo sem que alguém escutasse? Como ele conseguiu quebrar um colar sem a ajuda de outro? Como o relatório desse trabalho acabou no disco-rígido de outra pessoa? Como ela chegou ao restaurante antes de todos se não tem carro?
    • Como dito antes, continue trabalhando nos detalhes; muitos indivíduos – sejam criminosos, detetives, ou qualquer outro fulano por aí – são pegos ou descobertos por causa de detalhes esquecidos.
    • Passe pelas perguntas: Quem? Quando? O quê? Onde? Por quê?
  8. Aprenda a ler uma situação. A leitura de situações se divide em três partes:

    • Veja. O que você vê acontecer?
    • Observe. O que notou de diferente; Uma mancha? Um rasgo?
    • Deduza. O que isso implica?
  9. Seja humilde.

    Seja humilde. Em Um Estudo em Vermelho, Holmes diz:”Você sabe que um mágico não tem credibilidade após ele explicar seu truque; se eu mostrar muito do meu método de trabalhar, você chegará à conclusão de que sou um indivíduo bastante normal no final das contas.”Em outras palavras, não lhe era interessante que outros soubessem de seus métodos em grandes detalhes. De fato, revelar isso acabaria com o entretenimento e eficiência do que Holmes fazia. Siga seu exemplo e mantenha seus métodos intuitivos e dedutivos por perto, evitando acusar pessoas de qualquer coisa antes de ter absoluta certeza.

  10. Apresente suas conclusões para uma pessoa confiável.

    Apresente suas conclusões para uma pessoa confiável.

    Apresente suas conclusões para uma pessoa confiável. Holmes era um homem reservado, e confiava apenas naqueles que haviam se demonstrado confiáveis e leais. Em retorno, essas pessoas confiavam completamente no detetive, como Watson. Na mesma medida, “nada esclarece mais um caso do que contá-lo para outra pessoa.”,. Portanto, abra-se para alguém confiável e converse sobre suas conclusões.

  11. Permaneça aberto às possibilidades.

    Permaneça aberto às possibilidades. Apesar de algumas coisas parecerem claras como o dia, aparências enganam. Sherlock Holmes usava isso em sua vantagem para revelar várias possibilidades que jamais poderiam ser explicadas apenas pela visão e pela audição. Ele usava de intuição e lógica, desenhando conclusões a partir de detalhes. Ele também mantinha uma mente aberta, e aceitava que algumas possibilidades poderiam continuar sem explicação; certa vez, ele disse que “A vida é infinitamente mais estranha do que aquilo que a mente humana poderia inventar.” Isso não significa que tais coisas não possam ser explicadas. Isso significa que existem mais coisas imagináveis do que aquilo que estamos acostumados a ver neste mundo. Uma mente fechada acaba destruindo muitas possibilidades.

  12. Planeje folgas, festas e momentos de prazer em sua vida.

    Planeje folgas, festas e momentos de prazer em sua vida. Sherlock Holmes trabalhava duro em seus casos, mas ele amava um pouco de lazer e diversão.  É desgastante deduzir coisas e levar a intuição ao limite. Logo, o rejuvenescimento é vital para uma mente saudável e inteligente.

  • Tudo faz parte. Até a mais insignificante entidade pode ser uma pista valiosa dentro das circunstâncias certas.
  • Quando confuso em relação a uma decisão a ser feita, reúna e analise todas as suas evidências verbais e não-verbais. Isso pode ajudá-lo.
  • Leia alguns livros de “Sherlock Holmes”, de Sir Arthur Conan Doyle, para estudar mais sobre seu estilo, maneira de pensar e processamento dedutivo. Você poderia ler algumas experiências reais de Sir Arthur Conan Doyle, que ajudava pessoas falsamente acusadas por crimes.
  • Escutar sua ‘intuição’ pode ser muito útil em situações cotidianas. Você poderá prever o resultado de reuniões e compreender as pessoas que encontra diariamente
  • Não se esforce para tentar acreditar em cada coisinha que a linguagem corporal possa estar indicando. A linguagem corporal está certa em 80% das vezes, mas você vai se envergonhar se confiar demais nela.
  • Não tome decisões rápidas sem analisar todos os fatos. Quanto mais tempo você tira para refletir, melhor. Decisões ágeis são boas apenas para aqueles tecnicamente treinados para responder imediatamente a situações específicas, como pilotos de avião, operadores de estações elétricas e policiais. Ainda assim, erros acontecem. Portanto, dê tempo aos seus processos mentais ao usar a dedução e a intuição.
  • Não diga a ninguém sobre suas opiniões iniciais se não estiver 100% certo delas. Os outros podem vê-lo como alguém pouco confiável se você predisser erroneamente algo sem se basear nos fatos.
  • Tente não deixar nada de lado. Sempre busque por pistas em ‘grupos’ de fatos.

Acessem também o meu outro bloghttp://baudojacksparrow.files.wordpress.com

how-he-sees-the-world-sherlock-on-bbc-one-17276677-1440-900

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s